O GRANDÃO

Uma história sobre um simpático poeta solitário. 

Por Vergilio Lopes

O GRANDÃO

As noites de lua cheia eram suas preferidas. Pois a lua, sua única amiga, iluminava o topo das árvores para que ele pudesse descer.

 

Era um ser mágico coberto de delicadezas e enquanto alguns o tratavam como monstro, outros lhe tinham como divindade. Entre um e outro conceito nenhum era do tipo que lhe faziam aproximar. Ele era solitário mas discursava extensos monólogos com a noite e as sombras. Era vegano e curioso gostava de observar pela janela e colhia tudo que encontrava ao redor das casas.

Bastaria olhar para suas diferenças com carinho para e talvez desfrutar de uma amizade cheia de peculiaridades.