2.

Ator | Jornalista

JULIANO RANGEL

VESTIR DE ARTE

" Quando vestimos um personagem, assumimos uma nova pele. Uma pele que se transmuta, que se modela diariamente. Uma pele que se adapta, que se regenera pra dar vida a uma nova entidade que habita esse corpo. Uma pele que surge pra contar histórias não vividas. "

Juliano Rangel

sem medo da experimentação.

plástica

"Indicaria uma plástica na alma de um jeito mutável e ousado. Indicaria, vez ou outra, trocar de pele e de face. Indicaria vestir novas histórias e degustar sentimentos e vidas."

Vergilio Lopes

MÁSCARA

P O R T A S

" Na minha mente as portas são infinitas e guardam longas vidas. Cada vida guarda um carma da humanidade. Cada carma guarda um sopro de realidade. Cada vida precisa de uma casa, ele seria a casa/corpo. Ocupação temporária. Forma mutável e representação de tormentas ocultas. O ator."

Vergilio Lopes

A R T I S T A

“Sou criatura e criador. No mais oculto espaço interno existe uma noite que me convida pra transmutar vidas e histórias. Sou ferramenta do tempo empresto minha face, meu suor, minha pele e minha voz pra materializar realidades.”

Vergilio Lopes

Ao emprestarmos nosso corpo para uma nova persona, precisamos trocar o escalpo que nos reveste para dar vida a esse novo ser para entendermos sua complexidade, suas características, sua verdade, sua força e suas vulnerabilidades. Isso é um processo de auto-conhecimento.

Juliano Rangel

SOMOS NOSSOS

PRÓPRIOS DEUSES